Te vejo lá

— Não tenho muito interesse. Obrigado pela proposta.

— Beleza. Quando quiser, avisa. Lá eu me sinto melhor do que em qualquer lugar. Isso não é psicológico, é real! Como é seu nome mesmo?

— Virgulino. Sim, eu entendo.

— Você já foi lá?

— Com certeza "não".

— Fica na Av. Washington Soares.

— Eita! Bem longe, né?

— Ao lado do novo shopping.

— Ah, acho que já vi.

— Ao lado daquela boite também.

— Sim, sei.

— Depois da farmácia.

— Sei onde é. Longe pra burro. Não gosto muito daquele bairro.

— Mas tem um núcleo pertinho, no bairro da Parangaba.

— Sei onde é também. Mas tem engarrafamento, né?

— Igreja como essa é rara. Eu não tenho cargo lá. Dá até pra assistir live dos cultos. Onde mais eu acharia isso?

— Verdade. Coisa rara.

— Atenção individual! Células pequenas.

— Legal.

— É. Mas quanto menor melhor.

— Claro, claro. Mas eu não sei nem o número do ônibus que eu teria que pegar.

— Sem numerologias.

— Mas eu falei do ônibus.

— Qual ônibus? O seu?

— Não, não. O que eu teria que pegar.

— Sabe de quanto foi o jogo do flamengo ontem?

— 3x0 para o galo.

— KOINONIA!

— KOINONIA?

— Grego. Convivência. Ligação. Para vencer uma paixão só tendo uma maior ainda.

— Como assim?

— Amanhã tem PIROL. Quer ir?

— PIROL? Estarei no trabalho. Trabalho até tarde, amanhã.

— É à noite. Tem van gratuita da igreja. Vai ser um treinamento avançado de líderes de células. Você vai adorar. A sessão passada foi sobre rezas e terços. Ah, e o melhor, se não quiser não precisa pagar nada.

— Deus me livre. Eu realmente não tenho o mínimo de interesse. Estou surpreso por ter quem pague.

— O CONTRÁRIO. NÃO PRECISA PAGAR NADA.

— Sim, sim.

— A gente se fala lá, então.

— Oi?

— Você disse "deus me livre"?! Ambíguo, não?

— Um pouco.

— Paradoxalmente ambíguo. Como -1 vezes -1.

— Humm.

— E as horas?

— Que que tem elas?

— Que horas são?

— Dez para as sete.

— Posso contar contigo, né? Não fica encucado. Vai tranquilo.

— Vai pra onde? Acho que você não está entendendo, meu camarada.

— Você escolhe, eu vou. Ninguém vai te prender lá. Você precisa dele!

— Escolher o que? Hã?

— Amanhã. PIROL, na Parangaba, às 19h.

— Companheiro, não sei o que é PIROL na Parangaba. Amanhã o dia vai ser pancada, só devo chegar umas 22h em casa.

— Lá vai até às 23h.

— Tenho até futebol no mesmo horário.

— Futebol você vai ter sempre. Isso é algo e-s-p-i-r-i-t-u-a-l. Se não gostar, fica livre. Qual amigo teu te chama para ir à igreja até hoje?

— Acho que nenhum.

— E para festa? Todos, não é mesmo?

— Exato. Por isso são meus amigos.

— Você acha que quando algo é melhor vão espalhar assim? Pare para pensar.

— Não entendi a relação. Mas não posso deixar meu time na mão.

— No mundo é cada um por si e Deus nem existe. Na igreja é um time de v-e-r-d-a-d-e.

— Sim, sim. Ouvi dizer. E ainda tem minha vó que precisa da minha companhia.

— Eu nem estou ganhando dinheiro ao te convidar.

— Ainda bem.

— Não é por pena. O mundo não tem novidade mas a igreja tem. Parece o contrário. Os pecados são os mesmo desde antes de Cristo. Pare para pensar.

— Não sei se entendi…

— Madalena era prostituta, lembra? Fé é acreditar no que a bíblia diz mesmo sem ver.

— Lembro sim.

— Isso é mentira do DIABO. REPREENDE EM NOME DE JESUS! Todos os pensamentos negativos são dele. Ele ja é um derrotado e você não.

— Mas eu nã….

— Meu ônibus chegou, tenho que ir. Te espero lá, beleza?

— Eu não vou.

— Eu sigo a Deus e só a ele!

— M-mas… V-você não tinha ido embora?

— Não era meu ônibus. Engraçado, né?

— Não muito.

— Nenhum pecado me separará de Deus. Por que "não muito"?

— Ah, convenhamos. Não é muito engraçado. Dá para abrir um sorriso e franzir as sobrancelhas.

— Por quê?

— Por que o quê?

— É, não é muito engraçado mesmo, me convenceu… Deus não prende, mas sim o homem. Deus não usa formas.

— Eu não acho que deus ousaria ir tão longe.

— Até onde ele foi?

— Até um passo antes de ter que usar formas.

— Pelo contrário, ele quer cada um do seu jeito.

— Mas foi o que eu disse.

— Agora é meu ônibus. A DECISÃO É SUA. Sei que te verei lá.

— Ok. Não vou.

Pigs don’t fly, never say die

Pigs don’t fly, never say die