Acho engraçado como o termo "algoritmo" tomou conotações poderosas ultimamente. Hoje, o Algoritmo™ é tratado como uma espécie de deus do mundo contemporâneo. Quem tudo pode e tudo sabe. Divindade digital de sabedoria inquestionável e temperamento implacável.

"O algoritmo do Facebook fez isso" ou "O algoritmo do Instagram não permite aquilo"…

É até hilário saber que, no imaginário popular, o Algoritmo figura como a entidade ululante por trás das redes sociais capaz de decidir o futuro de todos com um simples estalar de dedos.

Um mestre das marionetes que tem brincado com o destino da humanidade. Ser cósmico onipresente acusado, por exemplo, de atuar ativamente nas campanhas presidenciais mundo afora e, como se não fosse suficiente, decidindo qual influencer vai viralizar pelos próximos insignificantes segundos.

Cômico perceber que, se pararmos pra pensar, Ele soa como uma versão remodelada da fada madrinha da Cinderela, mas diferentemente da original, a versão 2.0 demonstra uma indiferença e falta de compaixão sem precedentes — deve ser de áries— de que outra forma se explicaria meu completo anonimato?

A galera viaja e, pelo que se fala dEle, parece que estamos a mercê do seu humor e que devemos rezar para ele todos os dias pela sua suprema misericórdia. Haha

Como devoto da computação, e, majoritariamente, como usuário assíduo de redes sociais, tenho lugar de fala para confirmar que é exatamente tudo isso que estão falando.

É tudo real! A parada é sinistra! Um amigo meu disse que, uma vez, viu até o Algoritmo cuspir bola de fogo. Outro alega ter sido alvo de raios lasers disparados pelos olhos do Algoritmo…

Ele não tá para bincadeira. Corram para as colinas!

Pigs don’t fly, never say die

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store